O discurso pós-moderno sobre Nação


Confira estes dois discursos diferentes sobre o que é uma Nação: Robert Menard: "O povo frances é europeu, branco e católico" - https://www.rt.com/news/358623-mayor-beziers-french-white-catholic/

Neste aqui, Robert Menard, prefeito de Béziers - França, afirma que a identidade francesa é baseada no Jus Sanguinis, ou seja, o direito de sangue. Ele afirma que o que define ser francês é ser branco, europeu e católico. Isso está absolutamente certo. França desde sua fundação é composta por povos brancos - celtas, romanos, germânicos - e a partir de Chlodwig I, um reino católico. Essa tradição é milenar e fundamental para o desenvolvimento do povo francês. Após as afirmações de Menard, muitas pessoas ficaram ofendidas por tamanho "absurdo". Como é possível que uma nação seja definida por aqueles que a fundaram? Para eles, qualquer pessoa que passe a morar em tal nação define quem ela seja, apesar de milênios de história.

Harald V: "Os noruegueses são também imigrantes" - http://www.hypeness.com.br/2016/09/rei-da-noruega-faz-discurso-lacrador-apoiando-imigrantes-e-comunidade-lgbt/

Já neste, o rei Harald V da Noruega faz um discurso com base no Jus Solis - direito de solo - onde afirma que a Noruega é uma nação de imigrantes, desprezando o fato de que ela possui uma etnia escandinavo-germânica intocada por milênios. Ele afirma que os avós dele vieram da Dinamarca e Inglaterra, porém ambos os países são de origem escandinava e germânica. Em suas palavras, "no mundo de hoje, nem sempre é fácil dizer de onde viemos, a qual nacionalidade pertencemos". Esta afirmação é fruto de uma ideia globalista, onde o objetivo é tornar todos órfãos de suas nações, todos sem raízes, sem identidades. Tal ideal caminha para uma sociedade material e sintética, onde os laços são baseados em sentimentos superficiais. Obviamente, o discurso de Harald V foi aclamado pela mídia, sendo visto como um exemplo de progressismo e desconstrução.

Assim, podemos perceber que para o discurso pós-moderno, a questão de nacionalidade se baseia na afirmativa de que todos são parte de tal nação, independente das raízes nacionais e das raízes de cada individuo. Tal concepção gradativamente levará a destituição da identidade nacional e desintegração de seu povo. Como dito por Harald V, seus avós são de países diferentes, porém suas raízes são semelhantes, de origem europeia e de regiões próximas. As diferenças culturais estão apenas na esfera da surface culture (cultura superficial), sendo o alicerce da deep culture (cultura profunda) praticamente idêntico. O convívio multicultural e de raízes distintas é impossível, porque as diferenças culturais superficiais e profundas são muito mais numerosas que as semelhanças.

Esquema do Iceberg Cultural - Traduzido do original por Legião Identitária

#BertramSchweickert

0 visualização
© 2019 por Legião Identitária
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon