BLOG

Dominique Venner: Pode a História resolver os problemas do futuro?

Os homens sempre tiveram a necessidade de vislumbrar o futuro. Os gregos perguntavam à Pítia de Delfos; a obscuridade de seus pronunciamentos os oferecia múltiplas interpretações. Cedendo ao costume, Alexandre foi consultar a oráculo antes de marchar para a conquista da Ásia. Como era lenta para regressar ao seu tripé (assento utilizado por Pítia em suas visões), o impaciente macedônio arrastou-a até lá usando sua força. Ela exclamou: "Não se pode resistir a você..." Tendo ouvido estas palavras, Alexandre a deixou dizendo: "Esta previsão é suficiente para mim." Ele era sábio. Cada era possui seus profetas, adivinhos, arúspices, astrólogos, quiromantes, futurólogos e outros charlatães; hoje,

Racismo de uma Perspectiva Identitária

O identitarismo é totalmente contrário e condena qualquer forma de racismo e descriminação étnica. Defendemos que todos os povos possuem o seu direito de possuir um espaço-vital para desenvolvimento de sua cultura. Respeitamos as diferentes manifestações de identidade, percebendo que isto é o que faz de um povo único e singular. Assim como as heranças culturais, enxergamos que as heranças genéticas também são parte constituinte na formação identitária de um povo. Elaborar preconceitos baseados em genética é um pensamento materialista e determinista, fruto de ideologias modernas e cientificistas. Como uma pessoa que defende que existem diferentes povos, culturas e identidades, e que isso é bo

Sobre a Paz e a Guerra

A paz, ainda que seja um ideal valoroso e bonito, é apenas isso: um ideal. A paz universal é uma utopia, visto que sempre existirão aqueles que não querem a paz. Como diz o famoso ditado romano: "Si vis pacem, para bellum". Porém, de igual forma, a guerra também é uma situação de calamidade. A guerra não deve ser feita por prazer, nem por ambição. O sentido real da guerra é a proteção e defesa da integridade de um povo. Assim como a paz é feita através de tratados, a guerra também é feita assim. O conceito antigo-medieval de Guerra Justa é um exemplo disso. Pois então de qual forma essas duas alternativas tão antagônicas podem co-existir? Assim como dito por Sun Tzu: "O principal objetivo da

Retorno ao Eterno

O que poucos entendem, mas que a maioria dos autores dissidentes parecem perceber, como Markus Willinger e até Aleksandr Dugin, é que as formalidades linguísticas são apenas a cor, por assim dizer, de uma estrutura, mas não a estrutura em si. Uma classificação vazia de sentido. A liberdade, por exemplo, e a democracia, são valores que são colocados à força porque a esses valores foram atribuídos uma permanente legitimidade (que inclusive rende Casus Belli para com todas outras nações que não os aceitam - até mesmo as que não aceitam o específico tipo e interpretação desses valores proposto pela última moda do ocidente), mas que, em última instância, não representam nada que não sejam interes

A Arte de Konstantin Vasiliev

O povo russo sempre esteve preocupado com a sua tradição. Desde os tempos antigos artistas como Viktor Vasnetsov, Mikhail Nesterov, Repin e Vasily Surikov tentaram materializar essa memória que subsiste em seu povo, remontando os tempos de glória de seus antepassados na arte. Em plena era soviética, surgiu um homem que representou o âmago russo em suas obras e que rapidamente atraiu a atenção de seus contemporâneos. Em suas obras ele criou um mundo familiar, como se sua inspiração proviesse de memórias herdadas doutra vida. Duma maneira um tanto convencional, ele reflete pitorescamente a tradição russa. Vasiliev dá-nos sua própria leitura artística dos épicos russos, contos do Norte, em músi

A Arte de Boris Olshansky

O pintor Boris Mikhailovich Olshansky nasceu em 1956, num berço de uma família tradicional, seu pai era um veterano de guerra e sua mãe camponesa. Teve outros 5 irmãos. Estudou no Colégio de Arte de Penza e no Instituto Artístico Acadêmico Estatal V.I.Surikov de Moscou e em 1989 ingressou para a União de Artistas da Rússia. Em 1993 organiza sua primeira exibição pessoal, com mais de 300 trabalhos. Os temas da arte de Olshansky são: Nacionalismo russo; pan-eslavismo; espiritualismo eslavo, passado ideal; importância da natureza; elementos dos gregos, vikings, bizantinos e otomanos, incorporando elementos proto-eslavos e nórdicos; glória dos antepassados e ancestrais; raiz ancestral da Rússia.

O Triunfo do Materialismo e a queda do Ser Íntegro

Sempre que você ouvir o termo "Revolução", fique atento. Na nossa história ele quase nunca significou algo bom, principalmente porque foi adotado por segmentos que eram na verdade progressistas e não revolucionários. A Revolução Francesa normalizou a igualdade e moldou a democracia moderna. A Revolução Industrial tirou o homem do campo e cortou de vez o seu contato com a natureza e o trabalho saudável. Não mais o homem estava em sintonia com a natureza, guiando-se pelas estações do ano, pela luz e escuridão dos dias. Após a Revolução Industrial, o homem se tornou apenas uma peça de uma grande máquina, regido pelos minutos do relógio, não mais sentindo o cheiro dos campos e o sol em sua pele.

A Filosofia da Prática

O presente texto é inspirado no livro Gorin No Sho - O Livro Dos Cinco Elementos, de Miyamoto Musashi. O livro de Musashi é inspirador. Apesar da maioria dos ensinamentos do livro possuírem foco nos mandamentos de sua escola militar e do uso da espada longa no combate, podemos absorver importantes lições. Musashi leciona que o domínio da arma e do ofício faz o homem chegar ao domínio de si. Também expõe a importância de conhecer o corpo e o espírito. O desiquilibrio entre os dois elementos levará à derrota. Deve-se conhecer e estudar o inimigo, porém o mais importante é estudar a si próprio. "É preciso forjar a sua arte da espada com treinamentos de mil dias; depois, poli-la com treinos de d

Os valores da Aristocracia

"Recriar uma nova aristocracia é a eterna tarefa de todo projeto revolucionário." - Guillaume Faye Senhores opulentos, gananciosos, egoístas, aproveitadores, usurários, confinados e confortáveis por trás de grandes muros, ditando ordens para seus subordinados e controlando a população. Se você assimila tais palavras com a aristocracia, você foi ensinado incorretamente o verdadeiro significado de tal palavra. Tais características citadas anteriormente definem a alta classe burguesa, não a aristocracia. Com a ascensão da burguesia após a subversão iluminista, aristocracia passou a carregar conotação depreciativa. Elaboremos a seguir os verdadeiros valores da aristocracia e porque ela é impor

© 2019 por Legião Identitária
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon