BLOG

Este é o Sul!

Temos orgulho de nossas origens e raízes. Não nos calaremos perante aos gritos de "você é mestiço, latino, brasileiro!". Somos eurodescendentes! Ninguém tem o direito de dizer o contrário! Nossos ancestrais lutaram em terras europeias, sofreram com fome, escassez e guerra. Aventuraram-se no Novo Mundo, passando por dificuldades durante viagens marítimas, posteriormente enfrentando mais adversidades ao se estabelecer nessa terra ainda selvagem. Quase virgem, a região Sul era coberta de florestas. Coube ao trabalho braçal de nossos antepassados desenvolver a região. Aqui prosperamos e produzimos riquezas. Nunca essas dificuldades foram capazes de matar o sentimento de orgulho cultural e de

A Morte

"Nós vivemos em uma época em que a assim chamada morte heroica não existe. [...] Os jovens de hoje também buscam excitação. Não é que o medo relativo ao momento que devemos morrer não exista, mas não há tensão sobre o fato de que a morte é o pressuposto da vida. É apenas natural sentir alguma vileza no fato de que as pessoas apenas vivem para elas mesmas. A vida é uma coisa estranha. As pessoas não são fortes o suficiente para viver e morrer por si mesmas apenas. Elas geralmente pensam em algum ideal, alguma causa. Então logo elas se cansam de viver por elas mesmas. E é certo que, no que diz respeito à morte, elas precisam de uma causa. Isto é o que uma vez se chamou de "uma causa nobre". Mo

Os fracos devem temer os fortes

Όποιος γίνεται πρόβατο τον τρώει ο λύκος. Por que os fracos compraram tão facilmente o discurso de que quem treina e pratica exercícios é ignorante, que o faz apenas por questão material e para culto ao corpo? Porque é uma estória confortável e que dá um senso de normalidade para a sua miserável força de vontade. Não afirmo que todos devem adotar o costume de "No pain, no gain", contudo é obrigatório um mínimo esforço para manter uma harmonia corporal. É comum atualmente a glamourização da defeituosidade. Postagens como "A beleza da mulher gorda" são constantes. Me desculpem, porém não existe beleza nenhuma na deformidade. Os defeitos não devem ser glorificados, devem ser superados! Que

Lembremos de nossas revoluções!

Hoje, dia 20 de setembro, é comemorado o início de um dos maiores conflitos no qual o povo do Sul participou ativamente. Maior tanto em proporção, como importância histórica para a nossa região. Nossos antepassados lutaram por um ideal de liberdade contra um governo central que reprimia os locais. A Guerra, ou ainda, Revolução Farroupilha foi a única revolta civil no Brasil que não foi vencida pela União, comprovando o espírito guerreiro do povo do sul. Foram aproximadamente 10 anos que nosso povo ficou em guerra – dez anos se mantendo de pé entre as ruínas. A revolução é antecedida por vários motivos, tanto políticos como econômicos - a burguesia local tinha seus produtos, charque e couro,

A Demografia da Região Sul

Este estudo é um dos mais importantes desenvolvidos em nosso movimento. Acreditamos ser o único a tratar da demografia do Sul levando em conta fatores étnicos e culturais. Aqui procuraremos elucidar a composição étnica da região, assim como a taxa de fecundidade e o atual desafio que enfrentamos atualmente. Breve introdução histórica Os habitantes originários da região Sul são os indígenas, ocorrendo a partir do século XVI povoamento de padres jesuítas e bandeirantes paulistas. No século XVIII o governo português incentivou a colonização do litoral, trazendo imigrantes açorianos para a região. O crescimento populacional da região ocorreu nos séculos XIX e XX, com a chegada de imigrantes euro

Documentário - Sem Palavras

Divulgação de documentário importante para entender os desenvolvimentos culturais em Santa Catarina. Podemos enxergar por quais dificuldades nossa Identidade passou e superou. Devemos honrar a luta daqueles que viveram em tempos difíceis, mas que apesar das dificuldades, agarraram fortemente o sentimento de Identidade. https://www.youtube.com/watch?v=2WMUGVvRdQA "Direção/Richtung/Director: Kátia Klock - 2009 - 52 min. O documentário toca num assunto esquecido e não por isso pouco importante ou delicado: a perseguição de alemães no Brasil nos anos 40, durante a Segunda Guerra Mundial. A história é simples: ao se unir aos Aliados, o Brasil passou a considerar os países do Eixo (Alemanha

O discurso pós-moderno sobre Nação

Confira estes dois discursos diferentes sobre o que é uma Nação: Robert Menard: "O povo frances é europeu, branco e católico" - https://www.rt.com/news/358623-mayor-beziers-french-white-catholic/ Neste aqui, Robert Menard, prefeito de Béziers - França, afirma que a identidade francesa é baseada no Jus Sanguinis, ou seja, o direito de sangue. Ele afirma que o que define ser francês é ser branco, europeu e católico. Isso está absolutamente certo. França desde sua fundação é composta por povos brancos - celtas, romanos, germânicos - e a partir de Chlodwig I, um reino católico. Essa tradição é milenar e fundamental para o desenvolvimento do povo francês. Após as afirmações de Menard, muitas pe

Identidade, Nacionalismo e a Proposta para o Renascimento Cultural

Existe alguma relação entre identidade cultural de fato, “orgânica”, por assim dizer, e identidade nacional? Uma pergunta melhor talvez devesse ser: há alguma diferença? Pode existir uma nação sem identidade cultural? As massas infectadas pelo veneno da mídia, do relativismo cultural, daquilo que Theodore Kaczynski chama de “esquerdismo moderno”, vítimas da “sobressocialização” (outro termo de Theodore Kaczynski), repetem a mesma fórmula anti-nacionalista e internacionalista que “nações são apenas linhas em um mapa”. Infelizmente, no caso de algumas nações, isso é correto: nações que não possuem identidade alguma não são nações, são outra coisa. Podemos citar aqui as várias fronteiras sintét

A falsa festividade "identitária"

A primeira Oktoberfest no Brasil é realizada em 1978, alguns anos após as perseguições aos colonos e descendentes alemães no Estado Novo. Não só houve perseguição, porém uma tentativa de integração forçada dos alemães, como por exemplo, foi proibido de se falar em alemão; a mídia em alemão foi proibida de circular em território nacional; nomes de localidades, ruas e muitas outros aspectos da cultura foram mudados por iniciativa estatal. A censura era onipresente. O governo brasileiro jamais aceitou que os descendentes de determinado grupo étnico em território nacional se considerassem como parte deste grupo. Assim, o governo brasileiro reconhecia somente o jus soli (direito de solo). Algo

Ativismo de porão e ação real: uma autocrítica

Analisando o contexto político e social da dissidência identitária, anti-globalista e anti-imperialista brasileira, surge um grande questionamento: onde está a ação real? Muito do que é feito hoje, limita-se ao que podemos chamar de ativismo de porão. O termo, levemente depreciativo, contém uma verdade. Os movimentos estão restritos a ações em que ir de fato às ruas não existe. Há grandes obstáculos para que essa ação real ocorra e pretendo enumerar alguns deles aqui. - O cenário brasileiro é "atrasado". A política brasileira ainda é baseada na Guerra-Fria. O embate ideológico é entre a Direita Liberal-Conservadora e a Esquerda Marxista-Comunista. Essas duas frentes são ultimamente pred

Seja você o martelo!

Quando buscamos nos aprimorar, nos tornar mais fortes e mais sábios, tendemos a tomar outra pessoa como referência para isso. Temos o desejo de alcançar o nível dessa pessoa e até mesmo nos tornar melhor do que ela. Esse tipo de competitividade ou desafio, por fim, pode não se mostrar tão efetivo. Tampouco é efetivo buscarmos nos aprimorar apenas para nos sentir melhor do que os outros. É importante sim ter referenciais de inspiração, porém a melhor maneira de crescer é superando a si mesmo. Olhe para trás, volte alguns anos. Quem era você antes e quem é você agora? Onde você errou e no que você acertou? Que homem/mulher você se tornou e poderá se tornar? Trace objetivos internos e desenv

Nacionalismo não é ódio, mas sim amor

Recentemente ocorreu um protesto identitário do movimento Identitäre Generation no Portão de Brandemburgo, Alemanha. De início, os protestantes foram rotulados como sendo de extrema-direita que odeiam estrangeiros, refugiados, islâmicos, etc. De tais críticas vêm somente a palavra ódio. Sempre tentam mostrar qualquer movimento identitário ou nacionalista como movimentos odiosos. Quando na verdade é o extremo oposto. Movimentos nacionalistas pregam pelo verdadeiro amor, um amor passado por gerações, de pai para filho, transmitido pelos nossos mais antigos ancestrais. Assim como nós amamos nossa família, nós amamos a nossa nação, que é apenas uma extensão de nossa família. Amamos o nosso so

© 2019 por Legião Identitária
  • Black Facebook Icon
  • Black YouTube Icon